COIMBRA,18 de Setembro de 2021

Ordem dos Médicos do Centro denuncia falência assistencial nas urgências dos Covões

4 de Agosto 2021 Rádio Regional do Centro: Ordem dos Médicos do Centro denuncia falência assistencial nas urgências dos Covões

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) lamenta que, mais uma vez, durante o período estival se aproveite para diminuir a capacidade de resposta de cuidados do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) através do pólo do Hospital Geral (Covões), neste caso perante a falta de capacidade de resposta de imagiologia no Serviço de Urgência que não tem qualquer médico especialista em Imagiologia durante o período da manhã, entre as 09h00 e as 13h00.

“Com a Urgência aberta a partir das 09h00 – situação já de si incompreensível e que a Ordem dos Médicos tem vindo a criticar com veemência – poderá ser necessário efectuar, por exemplo, uma ecografia abdominal ou renal, que pode ajudar a salvar vidas. Porém, com a falta de imagiologista qualquer pedido urgente poderá ser protelado até às 13h00 ou mais horas, ou então, deslocar-se-á o doente ao pólo A nesse período acompanhado por médico e em situação emergente. É insustentável!”, assume o presidente da SRCOM.

Ou seja, com a actual escala do médico especialista em Imagiologia (13h00 – 20h00) no pólo do Hospital dos Covões um utente poderá ficar sem ecografia desde o fim do dia até às 13h00 do dia seguinte. Aos sábados, domingos e feriados a escala de imagiologia vigora apenas em regime de prevenção.

Carlos Cortes considera que estas graves dificuldades mostram o risco de ter uma urgência sem meios de socorro que são de extrema importância numa resposta de emergência.

“A falta de meios tem um impacto devastador”, acrescentando que “é deplorável que não seja apresentado um plano concreto e público para o CHUC e seus vários pólos e que se aproveite cada momento para reduzir ainda mais a resposta em cuidados de saúde de Coimbra e da região. O Centro não precisa de menos Saúde, precisa, sim, de uma melhor resposta e de mais planificação”.

“É urgente uma intervenção do Ministério da Saúde e da Administração Regional de Saúde do Centro, uma vez que estas lacunas têm um forte impacto na prestação dos cuidados de saúde em toda a região. Este caso é ilustrativo das situações de limitação de recursos humanos e técnicos na urgência dos Covões bem como da gritante falta de visão estratégica”, conclui.

Jornal Campeão das Províncias

GRUPO MEDIA CENTRO  |  SOBRE NÓS  |  ESTATUTO EDITORIAL  |  CONTACTOS

AS NOSSAS RÁDIOS

 

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D Eiras - Coimbra 3020-430 Coimbra

Powered by Digital RM