COIMBRA,4 de Agosto de 2021

Gouveia e Melo afirma que processo de vacinação está com o “acelerador a fundo”

24 de Junho 2021 Rádio Regional do Centro: Gouveia e Melo afirma que processo de vacinação está com o “acelerador a fundo”

O processo de vacinação contra a covid-19 em Portugal está com o “acelerador a fundo”, incluindo em Lisboa e Vale do Tejo, onde a situação epidemiológica é mais grave, afirmou hoje (24) o coordenador do plano nacional, Gouveia e Melo.

“Nós estamos com o acelerador a fundo, não conseguimos acelerar mais porque, para a acelerar mais, é preciso haver mais vacinas. E as vacinas não dependem de nós”, disse o vice-almirante, no decurso de uma visita ao Centro de Vacinação do Funchal, na Madeira.

Henrique Gouveia e Melo reforçou: “Todas as vacinas que chegam a território nacional são imediatamente inoculadas, havendo uma reserva mínima que tem de ser mantida para as segundas doses e para, se houver uma falha de fornecimento, não comprometermos as segundas doses.”

O coordenador da ‘task force’ do plano da vacinação contra a covid-19 alertou para alguns incumprimentos dos fornecedores em termos de datas e quantidades de vacinas, vincando que “essas coisas já acontecem há bastante tempo”, mas mantém o mês agosto como meta para atingir a inoculação de 70% da população portuguesa.

“Significa que a nossa margem de erro, neste momento, são 15 dias para a frente, se correr tudo muito bem, ou 15 dias para trás, se continuarem as expectativas de alguns atrasos nas entregas das vacinas”, disse, reforçando: “Posso dizer que a data de 08 de agosto é a data intermédia, em que pode andar duas semanas para trás ou duas semanas para a frente, com os dados que temos hoje.”

O vice-almirante Gouveia e Melo reafirmou que Portugal tem capacidade para vacinar no mínimo 100 mil pessoas por dia e, em esforço, até 140 mil, mas o processo está sempre depende do número de vacinas.

“O plano nacional tenta trazer à população portuguesa toda, de forma equilibrada, uma percentagem elevada de vacinação. Se nós vacinarmos mais uma área que outra, o vírus vai procurar a área menos vacinada”, explicou, sublinhando que “não é uma boa estratégia deixar bolsas por vacinar”.

Agência LUSA

GRUPO MEDIA CENTRO  |  SOBRE NÓS  |  ESTATUTO EDITORIAL  |  CONTACTOS

AS NOSSAS RÁDIOS

 

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D Eiras - Coimbra 3020-430 Coimbra

Powered by Digital RM