COIMBRA,2 de Agosto de 2021

Figueira da Foz: restauração apela à prudência na Páscoa e aposta no Verão

19 de Março 2021 Rádio Regional do Centro: Figueira da Foz: restauração apela à prudência na Páscoa e aposta no Verão

Os restaurantes e a Associação Comercial e Industrial da Figueira da Foz (ACIFF) consideram “necessárias” as medidas relativamente à Páscoa e apelam à “prudência para um Verão melhor”.

“Todos estamos de acordo de que o nosso sistema precisava de baixar a curva pandémica e restringir a circulação de pessoas na rua, daí apelarmos para que as pessoas e os empresários cumpram escrupulosamente as recomendações da Direcção-Geral da Saúde (DGS), a nível individual, para não termos de voltar a um novo confinamento”, disse à agência Lusa Nuno Lopes, presidente da ACIFF.

Segundo o responsável, a “grande aposta” para o turismo está concentrada no Verão, no entanto, apela à “prudência” da população para a altura da Páscoa.

“Vindo de um 2020 muito difícil e ao começo de um 2021 da pior maneira, logo a primeira tentação é fazer muitas actividades e campanhas para chamar as pessoas e estimular as vendas, mas isso tem de ser feito de uma forma controlada, por isso, entendemos fazer actividades lúdicas, e campanhas ao comércio, consoante os números pandémicos”, referiu Nuno Lopes.

“O pior que podia acontecer para a economia é confinar, desconfinar, confinar e voltar a desconfinar, devemos pensar num desconfinamento progressivo”, a perspectivar a “retoma económica e não um crescimento rápido”, para “a seguir fechar”, sublinhou.

Foi necessário “tomar medidas drásticas, mas estamos na altura de retornar à actividade, começa a haver, para além de uma saturação psíquica, um estrangulamento económico”, defendeu Nuno Lopes.

Mário Esteves, presidente da Associação Figueira Com Sabor a Mar, concorda com a decisão do Governo de encerrar para o confinamento, no entanto, “não se pode andar sempre a fechar, numa economia feita de soluços”, afirmou.

Na Páscoa, vai subsistir a entrega ’take-away’, que é uma situação que “mantém praticamente a proximidade com o cliente”.

O empresário defende que a forma de atrair os visitantes no Verão é através de iniciativas gastronómicas com “pratos que atraiam os turistas porque é pela boca que nos habituamos a conquistá-los”.

Relativamente aos apoios considera que “nunca são suficientes” e que, além disso, “demoram, prometem, prometem e retardam a atribuí-los”.

De acordo com Jorge Simões, proprietário da pizzaria Luzzo e vice-presidente para o Turismo da Associação Comercial e Industrial, a perspectiva para este Verão é que seja “semelhante ao do ano de 2020″.

Apesar de achar que “os apoios nunca são suficientes”, entende que é necessário “colocar no outro lado da balança e ter consciência de que o Governo não consegue ajudar mais porque não tem possibilidade”.

GRUPO MEDIA CENTRO  |  SOBRE NÓS  |  ESTATUTO EDITORIAL  |  CONTACTOS

AS NOSSAS RÁDIOS

 

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D Eiras - Coimbra 3020-430 Coimbra

Powered by Digital RM