COIMBRA,13 de Abril de 2024

Faleceu Napoleão Amorim, o decano dos cantores de Coimbra

31 de Outubro 2023 Rádio Regional do Centro: Faleceu Napoleão Amorim, o decano dos cantores de Coimbra

A Associação dos Antigos Estudantes de Coimbra (AAEC) expressou a sua tristeza perante o falecimento do Eng. Napoleão Amorim, de 99 anos, o mais veterano dos intérpretes da canção de Coimbra.

Nascido em 1924, Napoleão Amorim foi um dos fundadores da Associação Académica de Espinho, em 1938, quando tinha apenas 14 anos, e ali começou a cantar num pequeno orfeão, sendo escolhido para solista graças à qualidade da sua voz.

Em 1942 entrou para o 1.º ano da Faculdade de Ciências do Porto, mas como a maior parte dos seus amigos viera estudar para a Universidade de Coimbra, ele decidiu fazer o mesmo. Aqui completou o 2.º e o 3.º anos dos Preparatórios de Engenharia, tendo ingressado no Orfeon Académico de Coimbra, como solista e membro do grupo de fados. Feitos os dois anos, teve de regressar ao Porto, para concluir Engenharia, uma vez que ainda não existia essa licenciatura em Coimbra.

A verdade é que a excelência da sua voz levou a que o regente do Orfeon Académico de Coimbra, maestro Raposo Marques, continuasse a chamá-lo para as digressões do Orfeon. Espanha, Madeira, Cabo Verde, São Tomé, Angola, Moçambique, África do Sul, Brasil – eis algumas das paragens onde actuou com o grupo da Universidade de Coimbra.

Já nos anos 80 fez parte de um grupo de músicos de Coimbra que foi actuar ao Japão e passou a integrar o grupo de fados “Coimbra Eterna”, da Associação dos Antigos Estudantes de Coimbra no Porto.

Cantou em Coimbra há pouco mais de um ano, nas comemorações do 63.º aniversário da AAEC e dos 94 anos do Prof. Polybio Serra e Silva, de quem era grande amigo. E demonstrou, na altura, que os seus então 98 anos não o impediam de continuar a ter uma voz excelente – como salientaram quantos o ouviram e aplaudiram na festa da AAEC, mas também os muitos milhares que em poucas horas viram as gravações colocadas nas redes sociais, e nelas deixaram centenas de comentários elogiosos.

“Enfim, um exemplo para as novas gerações, não só pelo timbre da voz (pois esse é um dom que só a alguns é concedido), mas também pela gentileza, simplicidade e simpatia e pelo seu amor a Coimbra e à Academia”, refere a AAEC.

A AAEC, que há dois anos homenageou Napoleão Amorim, “curva-se perante a sua memória e apresenta sentidas condolências à sua família”.

Fonte: Campeão das Províncias

GRUPO MEDIA CENTRO  |  SOBRE NÓS  |  ESTATUTO EDITORIAL  |  CONTACTOS

AS NOSSAS RÁDIOS

 

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D Eiras - Coimbra 3020-430 Coimbra

Powered by Digital RM