COIMBRA,24 de Fevereiro de 2024

Condeixa-a-Nova avança com recolha selectiva de biorresíduos em Janeiro

20 de Dezembro 2023 Rádio Regional do Centro: Condeixa-a-Nova avança com recolha selectiva de biorresíduos em Janeiro

A primeira fase do serviço de recolha selectiva de biorresíduos de Condeixa-a-Nova entra em funcionamento em Janeiro, abrangendo 80 produtores do sector não-doméstico.

O público-alvo deste sector é constituído por hotéis, restaurantes e cafés, cantinas, instituições particulares de solidariedade social (IPSS) e similares, que vão ter acesso ao novo serviço na segunda semana de Janeiro.

Na segunda fase, ainda em 2024, a iniciativa deverá chegar aos residentes em “algumas zonas” da União de Freguesias de Condeixa-a-Velha e Condeixa-a-Nova e da União de Freguesias de Sebal e Belide, onde vivem perto de 6.000 pessoas, o equivalente a 34% da população do concelho, informou Helena Bigares, chefe da Divisão de Ambiente e Serviços Urbanos do Município.

A responsável falava no auditório do Museu Portugal Romano de Sicó (PO.RO.S.), esta terça-feira, na apresentação do serviço de recolha de biorresíduos, na qual também intervieram o presidente da Câmara Municipal, Nuno Moita, e Ângela Vieira, da SUMA, a empresa de serviços ambientais que acompanha a concretização da medida.

“É importantíssima essa separação dos resíduos urbanos”, defendeu Nuno Moita. Frisando que “cada vez mais pagamos mais caro” pela deposição dos resíduos urbanos no terreno sanitário, o autarca disse que a Câmara Municipal dá agora “este primeiro passo” na recolha selectiva de biorresíduos, “para depois o alargar a toda a população” do concelho.

O objectivo do projecto, com o lema “Se é orgânico, é para circular!”, é evitar “a deposição conjunta de biorresíduos com os resíduos indiferenciados e, consequentemente, reduzir a sua deposição em aterro”, adiantou Helena Bigares.

O Município de Condeixa-a-Nova tem “um potencial de produção anual de biorresíduos” na ordem das 2.614 toneladas, tendo em conta que, em 2022, foram no total recolhidas cerca de 6.742 toneladas de diferentes resíduos urbanos.

O projecto apresentado “prevê a disponibilização gratuita de contentores aos aderentes e permitirá reaproveitar e valorizar os restos de alimentos crus, cozinhados ou fora de validade, como as sobras de legumes e fruta, transformando estes resíduos com valor em recursos”: composto e energia.

Fonte: Campeão das Províncias

GRUPO MEDIA CENTRO  |  SOBRE NÓS  |  ESTATUTO EDITORIAL  |  CONTACTOS

AS NOSSAS RÁDIOS

 

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D Eiras - Coimbra 3020-430 Coimbra

Powered by Digital RM