COIMBRA,15 de Julho de 2024

Coimbra: Relançado concurso para recuperação do Mosteiro de Santa Clara-a-Nova

28 de Fevereiro 2023 Rádio Regional do Centro: Coimbra: Relançado concurso para recuperação do Mosteiro de Santa Clara-a-Nova

O concurso para a recuperação do Mosteiro de Santa Clara-a-Nova, em Coimbra, vai ser relançado no âmbito do Revive, programa de requalificação de património do Estado para fins turísticos.

Este monumento, situado na margem esquerda do Mondego, estava inscrito na primeira lista de património associado ao Revive, em 2016, sendo agora relançado o seu concurso na plataforma, afirmou o presidente da Câmara de Coimbra, José Manuel Silva, que falava durante a reunião do Executivo.

“Vai hoje ser colocado na plataforma do Revive o concurso do nosso Mosteiro de Santa Clara-a-Nova, um majestoso monumento nacional que há tantos anos ansiava por um projecto de recuperação”, disse José Manuel Silva, eleito pela coligação Juntos Somos Coimbra.

Segundo o autarca, o relançamento deste projecto “é o resultado de alguns meses de laborioso e empenhado trabalho da Câmara de Coimbra, em conjunto com os parceiros do Governo”, que foram “inexcedíveis na procura das melhores soluções”.

José Manuel Silva realçou que foi assegurada uma valorização da pontuação no caderno de encargos do concurso “para a melhor compatibilização do Revive com a continuação da utilização do imóvel no âmbito da bienal de arte contemporânea de Coimbra [Anozero, que usa aquele mosteiro como palco principal do evento], uma relação que irá beneficiar ambas as partes”.

De acordo com o presidente da Câmara de Coimbra, há “vários potenciais interessados”, esperando que o concurso “seja um êxito e que, dentro de poucos anos, Coimbra possa dispor de mais uma unidade hoteleira de cinco estrelas, de características únicas e grandiosas e com uma paisagem deslumbrante, o que permitirá um excelente reforço da marca Coimbra, dar um forte impulso ao turismo e alavancar a economia da região”.

Na plataforma do Revive, refere-se que a área bruta total de construção é de quase 13 mil metros quadrados, numa área global de 33 mil metros quadrados, estimando-se a capacidade de cerca de 90 quartos.

Aquele monumento, de fundação seiscentista e características arquitectónicas maneiristas, foi construído entre os séculos XVII e XVIII, em substituição do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, que sofre e sofria de inundações do rio Mondego.

A área a afectar ao uso turístico é “a totalidade do imóvel, com excepção da igreja e do museu”, refere o programa Revive.

Em Junho de 2022, a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, vincou a importância de, no quadro de requalificação do monumento pelo Revive, manter a bienal a funcionar no mesmo espaço.

Ainda no anterior Executivo, de maioria PS, foi aprovada uma proposta de colaboração da Câmara de Coimbra com o Estado e o Turismo de Portugal, defendendo que uma parte do mosteiro deveria ficar afecta à Anozero.

Fonte: Campeão das Províncias

GRUPO MEDIA CENTRO  |  SOBRE NÓS  |  ESTATUTO EDITORIAL  |  CONTACTOS

AS NOSSAS RÁDIOS

 

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D Eiras - Coimbra 3020-430 Coimbra

Powered by Digital RM