COIMBRA,20 de Maio de 2022

Coimbra inaugura exposição “Luz e Memória”

13 de Maio 2022 Rádio Regional do Centro: Coimbra inaugura exposição “Luz e Memória”

A exposição “Luz e Memória”, com trabalhos de Christian Boltanski, Francisco Tropa e Miroslaw Balka, vai ser inaugurada, amanhã (14), às 16h30, na Sala da Cidade (Antigo Refeitório do Mosteiro de Santa Cruz).

A mostra resulta da expansão da actividade do Centro de Arte Contemporânea de Coimbra que mostra, num outro espaço cultural municipal, um conjunto de obras da AA Contemporary Art Colletion.

Pelas 22h30, está programada uma visita acompanhada à exposição, por António Cerdeira (coordenador do Plano Nacional das Artes, que articula com o município o programa interpretativo da exposição), no âmbito da Noite Europeia dos Museus. A participação é livre.

Com curadoria de António Albertino e cenografia do arquitexto João Mendes Ribeiro, a exposição apresenta trabalhos de três grandes autores contemporâneos: Christian Boltanski (França, 1944-2021), Francisco Tropa (Portugal, 1968) e Miroslaw Balka (Polónia, 1958), obras gentilmente cedidas pela AA Contemporary Art Collection.

Patente até ao dia 20 de Agosto, esta exposição reveste-se de grande importância para o Município, não apenas pela reunião destes singulares autores mas, sobretudo, porque a materialidade das suas obras evoca a memória de uma história não muito longínqua e que os trágicos acontecimentos da guerra na Ucrânia trouxeram, de novo, à actualidade.

A exposição é promovida pelo Centro de Arte Contemporânea de Coimbra (CACC), que foi instituído em 2020 para receber uma parte da Colecção de Arte Contemporânea do Estado, dando agora continuidade ao novo ciclo de exposições tomando como sujeito várias colecções públicas e privadas. O CACC, pela primeira vez, expande a sua actividade para além do seu lugar de origem, para mostrar este conjunto de obras da AA Contemporary Art Colletion (Coimbra) cumprindo, assim, uma das suas várias missões: mostrar colecções privadas da cidade e da região. Este gesto pretende reconhecer a importância do coleccionismo privado como um dos motores essenciais para o desenvolvimento da própria criação contemporânea no domínio da arte, ao mesmo tempo que estabelece uma ligação substantiva entre a cidade e os seus munícipes.

A Sala da Cidade, antigo refeitório (séc. XVI) do Mosteiro de Santa Cruz cumpre-se como lugar intemporal pronto para conciliar as sombras do seu passado com a materialidade das obras destes três artistas contemporâneos.

“Luz e Memória” pode ser visitado até ao dia 20 de Agosto, de terça-feira a sábado, das 13h00 às 18h00 (Rua Olímpio Nicolau Rui Fernandes, 54, Coimbra).

Sobre a exposição

O percurso sugerido parte de uma questão colocada por Günter Grass, em 1990, numa célebre conferência, onde pergunta se será possível continuar a fazer arte e a escrever poemas depois de Auschwitz. Incapaz de conviver com a condição de sobrevivente, o poeta Paul Celan, que se suicidara em 1970, parecia ter dado a resposta.

Miroslaw Balka, inspirou-se na sua poesia para empreender uma profunda reflexão sobre o sentido do sofrimento e a memória do Holocausto. Christian Boltanski explorou o mesmo tema, evocando as memórias íntimas das vítimas mais frágeis, procurando na singularidade de cada uma delas um sentido para escapar ao absurdo da inexistência. Se a barbárie nos fez construtores do nosso Inferno, como nos poderemos redimir? Revisitemos o imaginário de Dante Alighieri, quando o Inferno era ainda uma visão literária. Desçamos às profundezas da gruta, sugerida pelas obras de Francisco Tropa acolhidas num santuário desenhado por João Mendes Ribeiro, esperando encontrar, tal como Dante, a Rosa Celestial que nos redimirá, dando algum sentido à «rosa de Nada / rosa de Ninguém» do malogrado Celan.

Fonte: Campeão das Províncias

GRUPO MEDIA CENTRO  |  SOBRE NÓS  |  ESTATUTO EDITORIAL  |  CONTACTOS

AS NOSSAS RÁDIOS

 

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D Eiras - Coimbra 3020-430 Coimbra

Powered by Digital RM