COIMBRA,5 de Março de 2024

Coimbra: Igreja de Cernache proposta para monumento de interesse público

14 de Dezembro 2023 Rádio Regional do Centro: Coimbra: Igreja de Cernache proposta para monumento de interesse público

A Direcção Regional de Cultura do Centro (DRCC) propôs a classificação da Igreja de Nossa Senhora da Assunção, paroquial de Cernache, no concelho de Coimbra, como monumento de interesse público, indica o Diário da República.

Os elementos relevantes do processo (fundamentação, despacho, proposta das restrições a fixar na zona especial de protecção (ZEP) e planta com a delimitação do imóvel a classificar e da proposta de ZEP) estão disponíveis no ‘site’ da Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC).

O processo administrativo está disponível para consulta, mediante marcação prévia, na DRCC, sendo que a consulta pública terá a duração de 30 dias.

Contactada pela agência Lusa, a directora Regional de Cultura do Centro, Suzana Menezes, esclareceu que o processo de classificação como monumento de interesse público teve início em Dezembro de 2003.

No entanto, por várias razões, designadamente a necessidade de se proceder à correcção do nome do imóvel, foi instruído pela DRCC um novo processo com pedido de abertura do procedimento de eventual classificação.

A nova informação técnica determinou a abertura do procedimento de classificação, publicado em DR, a 9 de Maio de 2014.

Em Maio de 2016 foi elaborada a informação técnica que propõe a classificação do imóvel e a delimitação da respectiva zona especial de protecção.

Colhida a aprovação da Câmara Municipal de Coimbra ao processo em Setembro de 2016, a DRCC enviou para parecer final da DGPC uma nova informação com a respectiva proposta de ZEP.

Apenas em Maio deste ano a Secção do Património Arquitectónico e Arqueológico do Conselho Nacional de Cultura apreciou a informação da DRCC e aprovou, por unanimidade, a proposta de classificação como monumento de interesse público (MIP).

“O templo em causa testemunha o passado histórico da vila, apresentando vestígios dos séculos XIII e XIV na capela-mor, registando, ainda, as grandes ampliações do século XVI e as intervenções realizadas no século XVIII”, afirmou Suzana Menezes.

Segundo a directora Regional de Cultura do Centro, no interior do templo destaca-se um conjunto de obras de arte, nomeadamente, “as capelas e a estatuária em pedra relacionada com a época da Renascença Coimbrã, os azulejos, datados de 1770, também de fabrico coimbrão, o retábulo da capela-mor, em talha dourada, dos séculos XVI/XVII, maneirista, e ainda o baixo-relevo de alabastro de Nottingham, de inícios do século XV, localizado numa das capelas laterais, provavelmente doado à igreja por Guilherme Arnao, senhor da povoação”.

Fonte: Campeão das Províncias

GRUPO MEDIA CENTRO  |  SOBRE NÓS  |  ESTATUTO EDITORIAL  |  CONTACTOS

AS NOSSAS RÁDIOS

 

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D Eiras - Coimbra 3020-430 Coimbra

Powered by Digital RM