COIMBRA,18 de Abril de 2024

UF de Assafarge e Antanhol inaugura escultura dedicada aos calceteiros

21 de Novembro 2022 Rádio Regional do Centro: UF de Assafarge e Antanhol inaugura escultura dedicada aos calceteiros

A aldeia da Palheira, pertencente à União das Freguesias (UF) de Assafarge e Antanhol, inaugurou, na tarde deste domingo (20), uma escultura dedicada aos calceteiros.

Apesar da chuva que iniciou bem na hora da inauguração, a Rua da Senhora da Piedade, na Palheira, encheu-se com algumas dezenas de pessoas para inaugurar este monumento que representa a profissão de calceteiro, que antigamente era dominada por centenas de pessoas da zona.

António Teodoro, presidente da UF de Assafarge e Antanhol, mostrou-se bastante satisfeito pela escultura. “Isto para a Palheira representa muito porque é a aldeia da UF de Assafarge e Antanhol onde mais calceteiro existiam. Isto representa muito para esta localidade”, começou por referir, sublinhando ainda que esta obra se tratou de uma promessa da sua campanha eleitoral.

Apesar de antigamente a profissão de calceteiro ter sido muito valorizada, actualmente já não há praticamente profissionais. “Neste momento apenas existem dois calceteiros na Palheira. É bom recordar a profissão que na altura era um luxo. Acredito que futuramente deixará de haver esta profissão. Ninguém quer seguir e infelizmente acredito que deve acabar”, afirmou ao “Campeão”.

No evento esteve também o presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), José Manuel Silva, que também revelou a escassez da profissão. “Isto representa uma magnífica iniciativa da UF de Assafarge e Antanhol em homenagear uma profissão típica da Palheira, de eternizar a sua memória e uma profissão tão necessária em Coimbra. Infelizmente encontra-se em vias de extinção”.

O presidente revelou que a CMC tem procurado estes profissionais para trabalhos, mas que não aparece ninguém. “Sem calceteiros é impossível manter a calçada tradicional portuguesa, espero que haja quem prossiga com esta profissão, que seja reconhecida e seja devidamente recompensada. É uma profissão absolutamente fundamental, é daquelas profissões que só damos conta quando falta porque”, disse.

Quanto à escultura feita por Hamilton Lima é feita com fibra de vidro e resina poliéster por fora e é revestida por dentro por pedra, cimento e ferro. A obra demorou cerca de três meses para ser feita e pesa por volta de 250 kg.

Fonte: Campeão das Províncias

GRUPO MEDIA CENTRO  |  SOBRE NÓS  |  ESTATUTO EDITORIAL  |  CONTACTOS

AS NOSSAS RÁDIOS

 

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D Eiras - Coimbra 3020-430 Coimbra

Powered by Digital RM