COIMBRA,2 de Março de 2024

Enfermeiros concentram-se em Coimbra contra decisão que afecta progressão salarial

22 de Fevereiro 2023 Rádio Regional do Centro: Enfermeiros concentram-se em Coimbra contra decisão que afecta progressão salarial

Cerca de duas dezenas de enfermeiros concentraram-se esta quarta-feira em frente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Centro exigindo pagamento de retroactivos em falta e correcta aplicação de pontos, que tem implicação na progressão salarial.

“ARS Centro paga o que deves”, “Progressão não pode ser uma ilusão”, “Enfermeiros motivados têm de ser valorizados”, eram algumas das inscrições nos cartazes que os enfermeiros empunharam junto à ARS Centro, onde entregaram uma moção reivindicativa.

Segundo o coordenador da Direcção Regional de Coimbra do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), Paulo Anacleto, a ARS Centro “é uma das múltiplas instituições do SNS (Serviço Nacional de Saúde) que não está a aplicar correctamente a atribuição de pontos aos enfermeiros”.

Na perspectiva do SEP, a “incorrecta interpretação” por parte da ARS Centro nos pontos relativos à avaliação de desempenho tem consequências na progressão salarial dos enfermeiros.

“Os enfermeiros não vêem a sua progressão salarial concretizada”, disse à agência Lusa Paulo Anacleto, adiantando que é necessária uma “clarificação” por parte do Ministério da Saúde, já que “as diferentes instituições têm leituras diversas sobre a atribuição de pontos”, havendo “dois pesos e duas medidas, consoante o que cada uma interpreta”.

De acordo com Paulo Anacleto, o problema inicial era a não contabilização dos pontos, e agora, há contabilização de pontos, mas sem consequências na progressão. “Agora, contabilizam mas não pagam”, frisou.

Os enfermeiros exigem o pagamento dos retroactivos em falta desde 2018, a correcta aplicação dos pontos e os correspondentes reposicionamentos remuneratórios.

Na moção entregue à ARS, o SEP defende ainda a vinculação de todos os enfermeiros em situação precária, a admissão de mais enfermeiros, a abertura de concurso para fixação de todos os enfermeiros em regime de mobilidade.

“Se o Ministério da Saúde não agendar uma reunião, nós – mais do que equacionamos – estamos determinadíssimos para avançar com novas formas de luta”, realçou Paulo Anacleto.

Fonte: Campeão das Províncias

GRUPO MEDIA CENTRO  |  SOBRE NÓS  |  ESTATUTO EDITORIAL  |  CONTACTOS

AS NOSSAS RÁDIOS

 

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D Eiras - Coimbra 3020-430 Coimbra

Powered by Digital RM