COIMBRA,18 de Abril de 2024

Credores da Académica votam pela manutenção da actividade do clube

16 de Novembro 2022 Rádio Regional do Centro: Credores da Académica votam pela manutenção da actividade do clube

A assembleia de credores da Sociedade Desportiva Unipessoal por Quotas (SDUQ) da Académica-Organismo Autónomo de Futebol (OAF) aprovou, hoje (16), a manutenção da actividade do clube com o compromisso de apresentar um plano de recuperação dentro de 60 dias.

“Esta decisão é favorável para a Académica ter futuro, que é aquilo que todos desejamos. Estamos numa fase decisiva e esta Direcção, eleita a 15 de Junho, foi obrigada, nos termos da lei, a apresentar-se à insolvência”, disse o presidente Miguel Ribeiro.

Em Setembro, para fazer face à situação económica da SDUQ a Direcção da “briosa” deu entrada com um pedido de insolvência e reestruturação no Juízo de Comércio do Tribunal Judicial da Comarca de Coimbra, secção de Montemor-o-Velho.

A assembleia de credores definiu que a dívida da SDUQ do clube dos “estudantes” é de 12,9 milhões de euros, distribuída por cerca de 60 credores, sendo que os maiores são o Estado Português e a Segurança Social (cerca de dois milhões de euros), o grupo brasileiro Guimarães e Neto (750 mil euros), a Caixa de Crédito Agrícola Mútuo (300 mil euros) e a Sporting SAD (150 mil euros).

“Hoje foi momento decisivo, já que poderia ter sido liquidada a SDUQ e o futebol da Académica ia ainda para patamares mais baixos ainda do que a 3.ª Liga, onde compete actualmente”, salientou o presidente da direcção, que mantém a aposta na recuperação da equipa de futebol e colocar o clube, de forma “gradual, e sem obsessão, no patamar que merece”.

Salientando que continua a defender uma Sociedade Desportiva Anónima (SAD) para o clube, Miguel Ribeiro garantiu que a Académica vai cumprir o prazo de 60 dias para apresentar um plano de recuperação do clube, “com todo o esforço como o temos feito desde que fomos eleitos”.

“Hoje sabemos exactamente o que devemos e dentro de 60 dias vamos saber como pagar, qual o plano e o prazo para o fazer. E aí temos de criar uma SAD, maioritariamente da Académica, que nunca colocará em risco o nome, o símbolo e a sua sobrevivência”, sublinhou.

Segundo o presidente da Académica, o dinheiro que vier a ser investido terá de ser canalizado para a equipa de futebol, reestruturação dos recursos humanos, profissionalização de todos os sectores do clube e recuperação dos equipamentos degradados.

Na assembleia de credores de hoje, apenas a Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Coimbra se absteve na votação, em que estiveram presentes a maioria dos credores.

Desde que tomou posse, a actual Direcção salientou que já efectuou pagamentos que ascendem a mais de 800 mil euros, dos quais 250 mil euros para salários em atraso.

Fonte: Campeão das Províncias

GRUPO MEDIA CENTRO  |  SOBRE NÓS  |  ESTATUTO EDITORIAL  |  CONTACTOS

AS NOSSAS RÁDIOS

 

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D Eiras - Coimbra 3020-430 Coimbra

Powered by Digital RM